Pular para o conteúdo principal

BANCADA EVANGÉLICA – A AMEAÇA A UM PAÍS “LAICO”



Apesar de se denominar laico o Brasil nunca assumiu o perfil de um país laico. Isso ocorre pela própria história do país, o modo como foi colonizado e pelo país que o colonizou.

Sabemos os riscos do entrelaço religião+política e religão+estado – lembra o Irã? –, mas mesmo assim o número de religiosos no campo político, na sua maioria evangélicos, só aumenta. Na última eleição o número de deputados e senadores evangélicos subiu 65%.

Quando há um aumento de uma classe no campo político, principalmente uma classe religiosa, a democracia começa a correr um grande risco.

Aqueles que não têm uma religião devem buscar o caminho político democrático, voltado aos princípios constitucionais. Os cristãos em geral, quando investidos de um cargo político, devem buscar o caminho político democrático voltado nos princípios constitucionais também, para que nunca se esqueçam de Mateus 22, 21: dai a César o que é de César, e dai a Deus o que é de Deus.

Comentários

  1. Sou católica, mas achei legal o blog.

    http://apaixonadasporcosmeticos.blogspot.com
    Retribuo seguidores, só avisar por comentário!
    Participe do nosso segundo sorteio.

    ResponderExcluir
  2. O Brasil precisa acordar. O Governo precisa acordar. A parábola do pássaro fêmea que coloca uma pequena cobra em seu ninho para proteger seus filhotes e, quando a cobra cresce, acaba sendo devorada junto com seus filhotes, tal qual fez o governo alemão com os nazistas, aplica-se à perfeição aqui. A bancada evangélica é composta por pessoas que de forma alguma acreditam nos ensinamentos de Jesus e que na verdade são fascínoras disfarçados de religiosos tal como os nazistas se disfarçavam de patriotas. A sede de poder, a maldade e o desejo sem limites por bens materiais dessas pessoas não conhece escrúpulos nem limites morais, são bandidos disfarçados que precisam ser combatidos com extrema urgência. Acorde Presidenta Dilma, não pense que tais pessoas, se tiverem o poder, honrarão qualquer acordo, não são como a maioria de nós, não conhecem qualquer ética. A História está aí para provar que “o ninho da serpente” precisa ser eliminado antes que seus ovos sejam chocados.
    A ameaça é seriíssima e precisa ser combatida agora, ou em poucos anos, veremos, perplexos e apavorados, nossa liberdade e democracia transformarem-se em passado.

    Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2012/04/maioria-dos-deputados-evangelicos.html#ixzz224aewV1H
    Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

XIX EXAME OAB - GABARITO PRELIMINAR OFICIAL (primeira fase)

Podem participar do Exame de Ordem estudantes do último ano do curso de graduação em direito ou dos dois últimos semestres. Quem passou na primeira fase do último exame mas não foi aprovado na segunda fase, pode solicitar a participação direta na segunda fase desta nova edição. O candidato deverá solicitar, exclusivamente via Internet, nos endereços eletrônicos da Fundação Getulio Vargas (FGV) ou nos endereços eletrônicos das seccionais da OAB.

-->


PRINCÍPIO DO ÔNUS DA IMPUGNAÇÃO ESPECÍFICA – ART. 302 do CPC

O sistema processual, regra geral, não admite a formulação de defesa genérica.
Tal comando está previsto no artigo 302 do Código de Processo Civil, o qual dispõe:
Art. 302. Cabe também ao réu manifestar-se precisamente sobre os fatos narrados na petição inicial. Presumem-se verdadeiros os fatos não impugnados, salvo: I - se não for admissível, a seu respeito, a confissão; II - se a petição inicial não estiver acompanhada do instrumento público que a lei considerar da substância do ato; III - se estiverem em contradição com a defesa, considerada em seu conjunto. Parágrafo único. Esta regra, quanto ao ônus da impugnação especificada dos fatos, não se aplica ao advogado dativo, ao curador especial e ao órgão do Ministério Público.
Conforme ensinamento de Nelson Nery “No processo civil é proibida a contestação genérica, isto é, por negação geral. Pelo princípio do ônus da impugnação especificada, cabe ao réu impugnar um a um os fatos articulados pelo autor na petição inicial. Deixando de impugna…

MODALIDADE DA OBRIGAÇÃO

1.QUANTO AO OBJETODar, fazer e não-fazer: essas são as obrigações quanto ao objeto.OBRIGAÇÃO DE DARDevedor deve entregar ou colocar à disposição um determinado bem. Ex.: compra e venda.OBRIGAÇÃO DE FAZERPresta serviço, presta atividade. Ex.: Prestação de serviço.OBRIGAÇÃO DE NÃO-FAZERAbstenção. Ex.: sigilo.José de Castro Neves: Nos casos em que temos o interesse na coisa, tenho a tendência que isso é uma obrigação de dar, p. ex. comprar uma cadeira. Se comprar uma cadeira levando em conta a habilidade do autor, isso é uma obrigação de fazer.1.1OBRIGAÇÃO DE DARNa manifestação da obrigação transfiro a propriedade de objeto, cedo a posse ou devo restituir alguma coisa.No direito brasileiro existe a transferência da propriedade por contrato. No Brasil, ao contrário da Itália e França que basta o contrato para transferência da propriedade, contrato não transfere direito real. As formas clássicas são Tradição (entrega da coisa) no caso dos bens móveis, e registro no Registro de Imóveis, no …