quarta-feira, 28 de março de 2012

FICHAMENTO: Filme 12 Homens e uma Sentença



FRASE CENTRAL: “Há diferenças entre o sujeito do discurso e o discurso do sujeito. Os fatos referidos ou conhecidos são objetos de interpretação”.


O direito busca a verdade dos fatos através do discurso do sujeito e das provas apresentadas no processo. Isso fica claro no decorrer do filme, onde o debate sobre a sentença do jovem acusado gira em torno das provas.
As provas apresentadas ao júri são tão convincentes que, inicialmente, a maioria absoluta vota pela sentença do jovem rapaz. Porém, há um entre eles que questiona sobre as provas apresentadas.
A partir desse momento, inicia-se um grande debate de interpretação dos fatos narrados e do fato em si. Com uma análise aprofundada dos fatos começa a surgir dúvidas quanto à veracidade das provas e dos fatos narrados e, a partir desse momento, os jurados começam a rever o caso e seus votos.
Percebe-se que as provas são mera interpretação do fato ocorrido. Ao analisarem o discurso da acusação e o discurso da defesa começam a perceber que o discurso da defesa é mais consistente. Mais do que observar as provas, os jurados começam a analisar o discurso de cada depoente e, ao confrontarem com as provas, a inocência do jovem quanto ao delito se torna cada vez mais evidente.
Uma das interpretações centrais para a absolvição do rapaz foi o testemunho da mulher que “viu” o rapaz matar seu pai. O caso dessa mulher que afirmou ter visto o fato vai de encontro com a frase central deste fichamento. Quando ela afirma ter visto o rapaz matar seu pai ela acreditava em seu discurso, ou pelo menos gostaria de acreditar, mas o que fica provado é que era impossível ela fazer tal afirmação com plena certeza, já que no momento em que ela viu a morte do pai do jovem ela estava sem seus óculos.
Podemos citar também como exemplo da frase central o momento em que um dos jurados se exalta e afirma querer matar o outro jurado. Com isso ele prova que o fato de o acusado ter afirmado querer matar o pai não significa que o faria.
Vimos então, através de uma análise psicológica do filme, que em um processo mais do que analisar as provas é necessária uma boa interpretação dos fatos. A busca da verdade deve partir do confronto dos fatos com as provas apresentadas.

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário